Você sabia que gordura na barriga não é tudo a mesma coisa? Pois é! Existem dois tipos: gordura visceral e subcutânea. Cada uma tem características peculiares que fazem toda a diferença na hora de se exercitar.

Por isso é importante entender sobre cada uma para ter um treino eficiente e conseguir reduzi-las. Se você ainda não sabe diferenciá-las, não tem problema.

Neste post, vamos te ajudar a compreender essas diferenças. Para conferir, basta continuar a leitura. Vamos lá?

O que é gordura visceral?

A gordura visceral é aquela que se acumula por baixo dos músculos e entre os órgãos. Dessa maneira, ela não é palpável, mas pode ser perceptível quando está aumentada.

Ela afeta não somente a parte estética, mas a saúde, pois aumenta a inflamação nos órgãos e libera substâncias que aumentam a pressão arterial e interferem na insulina.

Embora essas células adiposas sejam maiores e se multipliquem em menor velocidade, elas são mais ativas e prejudicam o metabolismo.

Esse tipo de gordura está relacionada ao aumento de doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, hipertensão e diabetes.

O que é gordura subcutânea?

A gordura subcutânea é considerada a “gordura mole”, pois está logo abaixo da pele e antes dos músculos. Por isso não conseguimos visualizar os músculos, como os do abdômen.

Essas células adiposas são menores, mas se multiplicam rapidamente. Por esse motivo, é bem mais difícil de ser eliminada. Por outro lado, ela faz menos mal à saúde em relação à gordura visceral.

Como identificá-las?

Para identificar os tipos de gordura é bem simples. Enquanto a gordura visceral tem uma aparência dura, por estar atrás dos músculos, ela gera uma barriga abaulada, estufada.

Sabe a famosa “barriga de cerveja”? Pois bem, mesmo as pessoas que não ingerem bebidas alcoólicas ficam com essa aparência por conta da gordura visceral. Ela acomete mais homens que mulheres.

Já a gordura subcutânea é aquela em que conseguimos pinçá-la entre os dedos. Os nutricionistas e educadores físicos medem a gordura corporal por ela por meio do aparelho chamado adipômetro.

Esse tipo de gordura é mais frequente em mulheres do que nos homens. Isso porque o hormônio feminino chamado estrogênio favorece o acúmulo dessa gordura, principalmente, nos quadris, seios, nádegas e coxas.

Como reduzir as gorduras visceral e subcutânea?

Embora a gordura visceral tenha maior impacto negativo sobre o metabolismo, ambas são prejudiciais à saúde e ao bem-estar. Por isso é importante manter uma percentual de gordura corporal saudável.

Não há um protocolo que permita perder mais um tipo de gordura que outro, pois essa queima é geral no corpo todo.

Para reduzir gordura corporal é fundamental rever os hábitos de vida e considerar uma alimentação saudável, a prática regular de atividades físicas, o abandono do tabagismo e a redução do consumo de bebidas alcoólicas.

Quanto aos exercícios, podemos dizer que os treinos de alta intensidade e de força são os mais indicados. Assim, é possível ganhar massa muscular enquanto reduz gordura.

Lembrando que uma boa quantidade de massa muscular mantém o metabolismo acelerado, ajudando na queima de gordura visceral e subcutânea.

E aí, gostou do nosso post? Deixe um comentário nos contando a sua opinião. Ela é importante para que façamos conteúdos cada vez mais interessantes para você!

Academia Nadarte
Escrito por Academia Nadarte